Sábado, 17 de Novembro de 2018

Buscar  
CULTURA

Por que preservar?

Texto n.º 01/2017 - Patrimônio Cultural




Aqui começamos uma série de publicações em parceria com o Portal Miradouro, a fim de refletirmos sobre nosso papel social e nossa contribuição na preservação de nossa cultura.  Quando ouvimos a palavra preservação logo fazemos associação ao meio ambiente, assunto de extrema importância, muito debatido na atualidade e muito veiculado pelas mídias. Porém o objetivo é abordar e ressaltar a importância de outro campo de preservação que é a do patrimônio cultural. Afinal o que constitui o patrimônio cultural de nossa cidade? E por que preservá-lo?

            

Uma vez que toda cidade tem história, e essa história muitas vezes não está nos livros estudados na educação formal, é importante lembrar que a nossa história local é muito importante para a construção da identidade de nosso povo. Dessa forma ao preservar nosso patrimônio cultural estamos lutando pela manutenção de nossa identidade cultural. Estamos dando continuidade a tudo aquilo que foi e é importante para nós.

            

Os bens culturais que constituem o patrimônio de Miradouro não é uma simples coleção de antiguidades que o tempo foi deixando para trás, eles são responsáveis pela continuidade histórica de nossa terra e ultrapassa gerações. A preservação desse tipo de patrimônio é um convite ao saber e à reverência, e ele está em qualquer classe social. O trabalho de preservação é uma forma de proteção a toda ação descaracterizadora, e quando a preservação é valorizada, uma cidade mostra que algo é de grande importância para a história local.  Todos são essenciais e podem trazer muitas contribuições, pois nossa identidade, quem nós somos, está intimamente ligada às formas de expressão, ao nosso modo de viver, criar e fazer, considerando cada indivíduo que faz parte de nossa coletividade.

            

Aqui, fica um convite a todo miradourense, para que possamos numa ação conjunta tornar a valorização do patrimônio cultural de Miradouro um elemento que possa dar vida à identidade cultural comum, promovendo ações que possam perpetuá-lo no tempo. Como preservar o passado não impede que o futuro seja construído, o que pretendemos é trazer para o COLETIVO nossa história, nossa memória, nossa gente, nossos saberes e nossa forma de pensar e fazer cultura, para que ao preservar nosso patrimônio cultural, nós possamos enxergar quanta riqueza foi deixada por nossos antepassados.


Toda contribuição é muitíssimo bem vinda, você pode nos ajudar a registrar nossa história. Faça-nos uma visita, a Casa de Cultura espera por você no endereço: Av. Jk, n.º 80 - Bairro São Pedro; ou pelo e-mail: cultura@miradouro.mg.gov.br, ou pelo telefone: 3753 -1905.



Renato Mata

Secretário Municipal de Cultura e Turismo

Miradouro/MG

 ________________________________________________________________________________


                                  IMPORTÂNCIA DA PRESERVAÇÃO

Texto n.º 02/2017 - Patrimônio Cultural




Preservamos tudo aquilo que para nós é significativo. Os papéis guardados naquela caixinha, o brinquedo preferido, as fotos que marcaram momentos especiais, os móveis que remetem a lembranças, os objetos que carregam algum afeto... Isso nos ajuda a construir nossa identidade pessoal, bem como a identidade dos grupos a que pertencemos ou já fizemos parte. Se guardamos as memórias que são importantes no meio familiar, por que não garantir o mesmo em relação ao que é coletivo? Histórias são importantes e definem cada um de nós. Se não valorizamos, guardamos ou registramos nossas histórias, elas se perderão com o tempo e assim ficará um vazio, uma ausência que compromete o entendimento sobre nós mesmos.


A preservação do nosso patrimônio cultural é que nos garante o direito ao acesso à memória individual e coletiva. Por meio dela busca-se conservar e exercer o direito à cidadania também. Quando preservamos nossa história estamos garantindo um direito de nossos descendentes, e isso é fundamental para que as futuras gerações consigam entender o passado. Com a prática da preservação vamos entendendo nosso papel na sociedade em que vivemos. Ao fazê-la não estamos fechando "as portas" para o "moderno', mas sim permitindo que bens, sejam eles materiais ou imateriais que foram importantes para a construção da identidade da sociedade miradourense não se percam no tempo.


Alguém imagina o carnaval de Miradouro sem o Bloco do Boi? Alguém imagina que ao descer o "Morro do Quebra" por ali passaram muitas histórias? Alguém imagina a origem do nome da Rua do Sapo? Essas questões enriquecem nosso imaginário, são partes de nossa cultura e merecem ter muito significado para nós. Quem sabe assim passaremos a conhecer melhor; e conhecendo melhor, passaremos a amar; e passando a amar, nasça um forte desejo de preservar.


Tudo isso está ligado ao nosso papel de verdadeiros cidadãos, uma vez que ao preservar o nosso patrimônio cultural estamos dando continuidade à nossa história e assim teremos a certeza de que Miradouro é o que é devido a tudo que aqui se passou. Assim como cada um de nós é o resultado de todas as histórias vividas.


Contamos sempre com a contribuição de todos para que possamos registrar nossa história. Faça-nos uma visita, a Casa de Cultura espera por você.


Renato Mata - Secretário Municipal de Cultura e Turismo


Vânia Freitas - Professora de História da Rede Municipal

 

15/06/2017


E-mail: cultura@miradouro.mg.gov.br

Tel: (32)3753 - 1905

End.: Avenida Juscelino Kubitschek, 80 Bairro São Pedro - Miradouro/MG


___________________________________________________________________


FOCOS DE LUZ 


Texto n.º 03/2017 - Patrimônio Cultural



Há duas semanas o site Portal Miradouro vem publicando artigos que fazem referência à importância de preservarmos nosso patrimônio cultural, tanto material quanto imaterial. 


A iniciativa da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo vai ao encontro de uma preocupação mundial que começou na França após a Revolução de 1789 e que ganhou força a partir de 1945, com o fim da Segunda Guerra Mundial, quando foi criado o organismo multilateral - a UNESCO - braço das Nações Unidas para a educação, ciência e cultura. 


Nesse contexto foi assumida a missão de defender os bens culturais considerados patrimônio da humanidade. Em Minas Gerais, por exemplo, a cidade de Ouro Preto, uma das maiores riquezas do estado, é tombada pela UNESCO como patrimônio cultural da humanidade. O tombamento é uma deferência, ou seja, uma atitude de respeito e consideração devido à importância histórica.


A partir daí, a maioria dos países passaram a criar leis a fim de proteger seu patrimônio histórico. Nesse trabalho de reeducação voltado para a importância de nossas memórias, o mais importante é refletirmos sobre a necessidade e a grandiosa ajuda que será a contribuição de cada um para que possamos trazer para o coletivo, para o conhecimento de toda a sociedade, as preciosidades que ainda estão quietinhas em algum lugar.



Por entender que é um trabalho de grande relevância para o município, a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo tendo em sua gestão Renato Mata, em parceria com a Secretaria de Educação tendo em sua gestão Hérica Regina Ferreira, propuseram inicialmente aos professores de História e Geografia da rede municipal a criação de mini projetos que contemplassem o tema. 


Assim juntamente com alunos e comunidades locais, busca-se o resgate de algum patrimônio histórico miradourense para que o mesmo não corra o risco de se perder. A intenção é justamente esta: "lançar luz", clarear nossa identidade e nos fazer sentir que pertencemos a um lugar rico em história. E histórias lindas de reviver e viver.



A proposta também foi feita às supervisoras e, posteriormente, a todos os professores da rede municipal, afinal é somando forças que o trabalho em equipe fica mais rico. E trazendo outros olhares nossa cidade sairá ganhando muito mais. A preocupação em preservar será cultivada pelos alunos que por sua vez envolverão as famílias e assim trabalharemos para que toda a sociedade esteja envolvida.


O assunto pode parecer novo, ou até de pouca importância; é algo a ser resolvido a longo prazo e dependerá do esforço de cada um, por isso contamos com a colaboração de todos, para que juntos possamos colocar nossa história e nossas memórias sob um imenso FOCO DE LUZ. 




Faça-nos uma visita, a Casa de Cultura espera por você.

Renato Mata - Secretário Municipal de Cultura e Turismo

Vânia Freitas - Professora de História da Rede Municipal

22/06/2017

E-mail: cultura@miradouro.mg.gov.br


Tel: (32)3753 - 1905


End.: Avenida Juscelino Kubitschek, 80 - Bairro São Pedro - Miradouro/MG



___________________________________________________________


Sobre nossa gente...


Texto n.º 04/2017 - Patrimônio Cultural






Nesta abordagem, busco refletir sobre a importância do nosso passado e com isso a importância de nossa gente, assim como toda contribuição e legado deixados para nós hoje. O que faremos com preciosidades na condução de nossa história, na loucura da correria da vida diária? "A questão da memória impõe-se por ser a base da identidade, é pela memória que se chega à história local". Nessas palavras da historiadora Circe Maria Fernandes Bittencourt, ficamos diante do que para nós é de suma importância: a história local. E o que fazer com ela? De que forma podemos nos apropriar dela? Por enquanto fica um convite: visitar nossa história onde ela se encontra.



 

Pensando nisso, vamos falar brevemente de duas personalidades importantíssimas para nossa cidade: O Sr. José Alcino Bicalho e o Sr. Antônio Lopes de Faria Sobrinho. Diante de tantas contribuições e qualidades, salientarei apenas a maestria de ambos no uso das palavras. Um poeta e o outro redator- pesquisador-historiador.


Reproduzindo as palavras do desembargador Eduardo Andrade no livro Poesia a Destempo, temos "J.A.B. , numa época tão carente de poetas, vem , do alto dos seus 87 anos - tem orgulho deles - brindar-nos com poesia e boa poesia. (...) É poeta de tema múltiplo, de poesia livre, sem perder a sofisticação, e prova que a diferença entre prosa e poesia é que aquela é injeção no músculo, de efeito retardado; esta, injeção na veia, de efeito imediato." De forma sucinta, eis a descrição da bela obra.


Em relato do Sr. Manoel Lopes de Faria Homem, na página 07 e 08 do Miradouro - Jornal, edição de abril e maio de 1960, temos acerca do filho Antônio Lopes: " (...) nessa ocasião ainda como agente Municipal de Estatística (...) foi convidado a fazer parte do diretório do conselho de Geografia e estatística do Glória, donde fazendo pesquisas, inquéritos e outros dados para o serviço de estatística municipal, deliberou apresentar ao Conselho Nacional de Geografia , uma Monografia do Município do Glória, a fim de que servisse, não só de elementos informativos para o IBGE, como também de propaganda para o município recém criado." Imaginem esse trabalho em tempos em que não havia Google? Excelentes materiais para pesquisadores, estudiosos e apaixonados por Miradouro, com certeza. Um pequeno recorte e eis a importância da obra.


Diante dessas duas personalidades, quero reforçar a importância do trabalho de preservação de nosso patrimônio cultural e registrar a iniciativa do nosso 1º Sarau Literário/2017 - Tributo a José Alcino Bicalho, que acontecerá em julho. E a outra iniciativa, que acontecerá em agosto, recai sobre a importância da obra do Sr Antônio Lopes. Todas muito em breve serão divulgadas.


Faça-nos uma visita, a Casa de Cultura espera por você.


Renato Mata - Secretário Municipal de Cultura e Turismo


29/06/2017


E-mail: cultura@miradouro.mg.gov.br


Tel: (32)3753 - 1905


End.: Avenida Juscelino Kubitschek, 80 - Bairro São Pedro - Miradouro/MG





Estatísticas
Visitas: 1603047 Usuários Online: 177


Fan Page do Portal Miradouro

Parceiros








Nascemos para amar. O amor é o princípio da existência e o seu único fim. Benjamin Disraeli
Copyright (c) 2018 - PORTAL MIRADOURO | RÁDIO PORTAL MIRADOURO - Todos os direitos reservados